EDIÇÃO Nº 171 - ANO XV | JULHO / 2014


ASSERPE, A HISTÓRIA CONTADA DIARIAMENTE...

Os fatídicos anos 60 foram de muita luta por liberdade no país. Envolto a uma ditadura política, a comunicação brasileira agonizava em meio aos vetos do presidente João Goulart ao Código Brasileiro de Telecomunicações. Nesse período foi criada a Associação Brasileira das Empresas de Rádio e Televisão (Abert).Em Pernambuco, jornais, emissoras de rádio e de TV lutavam para garantir o direito primário dos meios de comunicação: levar a verdade a seus ouvintes, telespectadores
e leitores o que de mais importante acontecia no estado.

Depois de muitos anos de luta, de forma individualizada, era preciso unir as forças para transformar o meio em Pernambuco. Inspirado por esse pensamento, em janeiro de 1987, o então diretor dos Diários Associados, Antônio Camelo, convocou Vicente Jorge, diretor da rádio Recife FM e Cleo Nicéas, diretor da TV Globo Nordeste para juntos darem início a aventura de ver uma comunicação livre e com seus direitos garantidos. Nascia a Associação das Emissoras de Rádio e Televisão de Pernambuco (Asserpe).

Hoje, 27 anos depois, a associação tem um papel de igual importância para a comunicação local, encabeçando ações que visam acompanhar e incentivar o desenvolvimento do setor, em todo o estado. Trabalhando em conjunto com seus associados, a Asserpe oferece uma série de serviços que têm a finalidade de valorizar e engrandecer o rádio e a TV da capital ao interior. Além de defender os interesses das emissoras e dos radiodifusores.

Com quase 100 empresas associadas entre emissoras de rádio e televisão de todas as regiões de Pernambuco, a Asserpe vai além de uma associação patronal. Às emissoras associadas são disponibilizados serviços como assessoria jurídica, apoio comunicacional interno e externo, cursos de capacitação para funcionários e gestores das emissoras, o que nesses anos têm levado mais profissionalismo e desenvolvimento para a radiodifusão do interior do estado. Outra função importante da associação se refere à troca de experiências entre as emissoras e profissionais de
todo o estado de Pernambuco. A realidade de mercado de uma emissora no Vale do São Francisco não é a mesma do Agreste pernambucano, que, por sua vez, diverge bastante do Recife. A Asserpe neste aspecto serve como ponto de encontro e discussão a cerca dos percalços enfrentados por cada radiodifusor ou emissora em sua localidade. As decisões são tomadas com base em troca de experiências e opiniões o que têm transformado o mercado local em um dos mais ativos e consolidados do Norte-Nordeste e do país.

PIONEIRISMO É MARCA DA RADIODIFUSÃO DE PERNAMBUCO
Em seus anos de história a Asserpe enfrentou crises econômicas, governos de vários partidos, e sempre se manteve isenta e atuante em favor da sobriedade da radiodifusão. No cenário nacional, a Asserpe criou eventos para alavancar a qualidade e o profissionalismo do rádio e da TV de Pernambuco. Seguindo o pioneirismo de Pernambuco (Rádio Clube é a primeira emissora de rádio do Brasil, iniciando suas transmissões em 1919), em 1996, a Asserpe fez do Recife a primeira
capital do Nordeste a receber o Congresso Brasileiro de Radiodifusão. Organizado em parceria com a Abert, o congresso colocou a capital pernambucana no foco da comunicação nacional, uma vez que trouxe grandes nomes do rádio e da TV, como Arnaldo Jabour, Alexandre Garcia e recentemente Marcelo Tas. Apenas quatro anos depois, em 2000, a Asserpe criou o Prêmio Asserpe, que legitimou e incentivou o mercado anunciante em todo estado. Eram premiados agências de publicidade e estudantes universitários que se destacavam em campanhas veiculadas no Rádio e na TV. Desta semente, plantada ainda no século passado, brotaram bons frutos, premiações na mesma linha, como o Prêmio Pernambuco da Propaganda (promovido pelo Sinapro-PE) e o Prêmio Neurônio (Sistema Jornal do Commercio), o que só comprova que o mercado local só tende a crescer e se desenvolver. E, em breve, vem por aí uma nova premiação promovida pela
Asserpe, que vai destacar os melhores profissionais do rádio e da TV no estado. Em 2002 a Asserpe criou o Fala Nordeste, evento que discute com toda cadeia produtiva da comunicação
os aspectos técnicos, profissionais e comerciais no mercado interno dos estados que compõem
a região Nordeste. Itinerante em várias capitais, em 2015 deve acontecer novamente em Recife, a exemplo do que ocorreu em 2011. No mesmo ano, o foco era o mercado publicitário
e a Asserpe criou o Encontro Asserpe, que sempre no segundo semestre de cada ano, convoca as agências de todo o estado para um café da manhã, onde todas podem conhecer os planos comerciais e oportunidades de mídia nas emissoras do interior de Pernambuco.

A ARTE DE SE FAZER VENDER
Além da importância associativista e institucional para a comunicação local, a Asserpe tem outras facetas que denotam a importância da associação para o mercado. O braço comercial da Asserpe tem nome e sobrenome: A Central de Rádio de Pernambuco. Foi criada em 1987, com o objetivo de dar um suporte comercial e apoio na área de marketing às rádios do interior do Estado que são filiadas a Asserpe, fazendo com que elas passassem a trabalhar de forma integrada e em parceria.

A Central trabalha fazendo captação de negócios para as associadas, funcionando como um agente facilitador, trazendo para as emissoras parcerias com agências de outras regiões e clientes nacionais
e multinacionais. A Central de Rádio desenvolve também ações promocionais, campanhas e convênios, além de fazer um trabalho “corpo a corpo” junto aos anunciantes e agentes, em todo o Brasil, esclarecendo a importância de anunciar no nosso estado, que hoje exerce grande influência dentro do atual cenário econômico/consumidor brasileiro.

Desde seu início até os dias de hoje, a Central de Rádio de Pernambuco cresceu cerca de 510%, uma média de 25%ao ano e sua área de atuação passou de anunciantes e clientes de agências do Grande Recife para atender a agências de todo o Brasil, trazendo um maior número de anunciantes para Pernambuco. Nesta caminhada de sucesso, a Asserpe e a Central de Rádio contam sempre com o apoio e a competência do anunciante, dos veículos de comunicação e das agências de propaganda. Uma relação repleta de bons resultados que está prestes a completar
30 anos de cumplicidade, e nesse período quem mais ganhou com essa parceria foi o povo pernambucano, que pode reconhecer no rádio e na TV local a marca da nossa cultura
e da nossa gente.


Vídeos mais vídeos
Newsletter


Todos os direitos reservados | Revista Pronews