EDIÇÃO Nº 171 - ANO XV | JULHO / 2014


PAUTA - PRONEWS: Retoque, manipulação ou melhoramento - o que há por trás da pós-produção de imagem

15/06/2015

Na história da fotografia, era bastante comum a sutil manipulação das imagens para dar um último retoque na imagem, fossem de personagem ou de paisagem para que esta permanecesse a expressão máxima do real no olhar do observador. Mas, nas últimas décadas, correções feitas para reparar pequenos defeitos ou aperfeiçoar se tornaram algo regular e, com o passar do tempo, se tornou sinônimo do dito “photoshop” o que não é bem visto por muitos profissionais por resultar em manipulação questionável de vários trabalhos gráficos. Um exemplo é o caso da foto de Preta Gil em 2013 para campanha “Special For You” da C&A, cujo rosto e corpo estavam tão alterados que foi alvo de diversas criticas quanto ao uso em excesso de Photoshop. Outro exemplo envolveu a atriz Carol Castro que apareceu em ensaio da revista Boa Forma, em 2010, mais bronzeada e sem a tatuagem que tem na região da barriga. Nos Estados Unidos, por exemplo, o uso do retoque digital alterou imagem divulgada pela imprensa americana que mostrava o presidente Barak Obama saindo do avião Força Aérea 1 de mãos dadas com sua primeira dama, tendo esta duas mãos na mesma imagem.

Apesar desses casos questionáveis, a pós-produção e o retouch representam tratamentos que pode trazer melhoramentos significativos para uma imagem, O retouch é o responsável por criar um universo lúdico por trás da foto. Há um mundo de elementos que são inseridos depois por cima da foto, gerando uma nova imagem. É como se fossem os efeitos especiais dentro de uma foto. O profissional de retouch é praticamente o "Hans Donner" da fotografia. 

Hoje, por exemplo, temos diversos recursos à mão como o uso de programas de edição de imagens e o mercado de comunicação tem se valido destas oportunidades, e com muito sucesso. Ano passado, inclusive, o estúdio pernambucano de retouch, Moreira Estúdio, de Caruaru, se destacou com trabalho neste segmento para a campanha The Autocomplete Truth Un Women, para a UN Women – ONU Mulheres, entidade da ONU que estuda a desigualdade entre gêneros, no Dubai Lynx Festival 2014. Em meio a tantas discussões e diante de tudo que esta técnica pode oferecer, nós da Revista Pronews queremos saber:

- Pelo seu conhecimento, como se deu o início da pós-produção no mercado de comunicação? E ele veio antes ou depois do retouch de imagens?

- A grosso modo, o que significa retouch, e o que implica pós-produção?

- No que diz respeito ao trabalho de pós-produção, quais são as reais possibilidades desta técnica no setor, atualmente? E qual o peso específico que o retouch tem hoje na finalização de qualquer projeto?

- A ideia que ficou condicionada do “Photoshop” ainda é atual, ou é apenas um conceito ultrapassado, mas que ficou no imaginário e no vocabulário popular?

- Há como identificar com certa clareza quando uma imagem passou por alguma “manipulação”? E este tratamento é mais comum atualmente em fotos nas populares mídias sociais, em que existem diversos aplicativos à disposição?

- E o que realmente tem motivado os investimentos do uso da pós-graduação e do retouch no mercado? As formas e técnicas conhecidas não são suficientes para minimizar falhas ou para melhorar o resultado final ainda no processo de produção?

- Quais as grandes vantagens? E quais os cuidados que se deve ter no processo de pós-produção e retouch? E quais as principais técnicas, aplicativos e métodos disponíveis para os profissionais?

- E meio a tantos casos chocantes, quais são os melhores cases que podemos destacar de resultados positivos, por fim?

Indique-nos fontes ou mande-nos suas respostas e opiniões para participar desta matéria para a próxima edição da nossa revista, mandando email para redacao@revistapronews.com.br e/ ou ivelise.pronews@gmail.com, com o assunto #PÓSPRODUÇÃO até a próxima sexta-feira (dia 19/06). Contamos com sua colaboração!


Vídeos mais vídeos
Newsletter


Todos os direitos reservados | Revista Pronews